War and Peace in New International Relations

The Master in Peace and War Studies in the New International Relations opened in 2003-2004 and has become a relevant space for strategical thinking on and for promoting peace.

This program was especially designed for diplomats, international officers, journalists specialized in International Relations, event recent graduates, as well as military and members of the security forces. The program aims to provide students with skills on strategic issues (in an international context in deep change), including non-military threats and new types of violence, as well as the conditions to promote peace (preventative diplomacy, crisis management, conflict mediation, social reconstruction processes).

The program was organized in a sequence of six theoretical-practical courses (theoretical and methodological, legal, economic, strategic and current perspectives) and three seminars (on more specific issues) lectured by Portuguese and foreign experts.

Master Dissertations may be linked to research projects from OBSERVARE, the research unit on international relations at UAL.

The Master in Peace and War Studies in the International Relations is a four-semester program that awards 120 ECTS,  authorized under Announcement nº 8246/2011 – 2nd series – Nº 114 – 15 June, in Diário da República. The Master is accredited by the Assessment and Accreditation Agency for Higher Education (ACEF/1213/07672).

    Plano Curricular

    - Professor Doutor Luís Moita - Prof. Doutor Ricardo Sousa

    • Dotar aos alunos de instrumentos teóricos e metodológicos que lhes permitam investigar, analisar, interpretar e ainda reflectir sobre a realidade internacional/global e continuando o trabalho efectuado em Teoria das Relações Internacionais I (semestre anterior);
    • Identificar, seleccionar e avaliar fontes de informação documentais e bibliográficas a partir dos seus autores e sobre as Relações Internacionais:
      • Aproximar os alunos ao mundo das ideias, conceitos centrais e interpretações dos principais representantes nas várias perspectivas para o estudo das Relações Internacionais;
      • Demonstrar a validade dos modelos ditos tradicionais e a oportunidade dos modelos teóricos que se enquadram numa perspectiva mais moderna das Relações Internacionais;
      • Identificar e compreender os pontos de encontro e desencontro entre paradigmas.

    - Prof. Doutor Luís Tomé

    • Adquirir o quadro teórico e metodológico no âmbito da geopolítica e da geoestratégia adequado ao conhecimento e análise do comportamento das chamadas “grandes potências” e dos factores de instabilidade e conflitualidade ao nível internacional e regional;
    • Desenvolver uma atitude de reflexão crítica sobre as políticas e as estratégias das grandes potências;
    • Compreender o quadro geopolítico-geoestratégico mundial e os factores e as dinâmicas de instabilidade em certas regiões geoestratégicas.

    - Mestre Henrique Morais - Mestre Pedro Pinto

    • Compreender a situação atual das principiais economias, seus padrões de crescimento e desafios que se colocam;
    • Identificar o enquadramento teórico em torno da questão dos recursos e da conflitualidade, suas causas e consequências;
    • Identificar o debate instalado quanto à relação entre conflitos violentos e dotação de recursos pelos países;
    • Reconhecer o papel das transformações económicas internacionais na ocorrência de conflitualidade;
    • Descrever a problemática dos recursos energéticos face à ocorrência de conflitos violentos;
    • Descrever a eventual relação entre os recursos diamantíferos e a conflitualidade.

    - Prof.ª Doutora Patricia Galvão Teles

    Gerais:

    • Adquirir conhecimentos teóricos sobre a temática do recurso à força adotando uma perspetiva jurídico-internacional;
    • Desenvolver a capacidade de reflexão crítica sobre a matéria, bem como adquirir metodologias de investigação específicas no contexto de uma abordagem jurídico-internacional;
    • Conseguir aplicar os conhecimentos adquiridos numa perspetiva de investigação multidisciplinar, que envolva as Relações Internacionais e o Direito Internacional Público.

    Específicos:

    • Analisar comparativamente as várias fases da evolução ao nível da teoria do Direito no que respeita ao recurso à força nas relações internacionais;
    • Conhecer a regulamentação jurídica associada ao princípio constitutivo da proibição do recurso à força nas relações internacionais;
    • Conhecer a regulação jurídica que procura limitar os efeitos dos conflitos armados, em particular o Direito Internacional Humanitário;
    • Conhecer os mecanismos da justiça penal internacional aplicáveis a situações de conflito armado;
    • Aplicar os conhecimentos adquiridos a questões concretas contemporâneas;
    • Desenvolver uma reflexão crítica e multidisciplinar sobre o uso ou ameaça do uso da força no contexto de conflitos armados internacionais.

    - Prof. Doutor Miguel Santos Neves

    • Compreender as causas e dinâmicas dos conflitos armados tendo por base estudos de caso e as diferentes perspectivas teóricas;
    • Reconhecer e entender a importância dos regimes internacionais e instituições na prevenção da guerra e construção da paz, em especial o paradigma da paz ativa;
    • Conhecer os mecanismos e instrumentos do direito internacional de regulação da guerra e de protecção dos direitos humanos no âmbito de conflitos armados ;
    • Analisar, comparativamente, as lógicas dos processos de paz e das operações de manutenção de paz e os limites da sua eficácia.

    - General Luís Valença Pinto

    • Aprofundar os conhecimentos teóricos e metodológicos necessários ao conhecimento e à crítica do saber referente a questões essenciais do âmbito da Segurança e Defesa;
    • Identificar, avaliar e seleccionar fontes de informação documentais e bibliográficas relativas ao estudo das questões da Segurança e Defesa;
    • Desenvolver atitudes e comportamentos alicerçados nas capacidades já adquiridas, assim como ampliar a atitude de atenção e reflexão sobre as questões da Segurança e Defesa.

    - Profª. Doutora Brigida Brito - Profª. Doutora Nancy Elena Ferreira Gomes

    • Familiarizar os mestrandos com conceitos, problemas centrais e práticas fundamentais inerentes ao processo de investigação em Ciências Sociais;
    • Fornecer uma compreensão sobre o procedimento científico e as dimensões fundamentais do processo de investigação em Relações Internacionais;
    • Promover o desenvolvimento de uma consciência ética e crítica em torno das atividades de investigação e produção do conhecimento científico tendo presentes os objetivos definidos e o campo de estudo;
    • Capacitar o mestrando para o desenvolvimento de práticas de investigação apoiadas na formulação de um problema, na argumentação racional e logicamente elaborada, na pesquisa, sistematização e organização da informação;
    • Dotar o aluno de instrumentos orientados para a comunicação escrita e oral estruturada, clara e consistente dos objetivos, métodos, resultados e fontes utilizadas.

    - General Luís Valença Pinto

    • Adquirir os conhecimentos teóricos e metodológicos necessários ao conhecimento e à crítica do saber referente ao pensamento estratégico e à sua evolução;
    • Identificar, avaliar e seleccionar fontes de informação documentais e bibliográficas referentes ao estudo conceptual da Estratégia;
    • Desenvolver técnicas, perceções e comportamentos alicerçados nas capacidades de aprendizagem, bem como uma atitude de atenção e reflexão sobre as múltiplas variáveis e dimensões do raciocínio estratégico.

    - Professor Doutor Luís Moita

    O objectivo deste Seminário é o de proporcionar uma reflexão alargada, em perspectiva histórica e a partir de situações concretas, sobre o modo como foram sendo propostas soluções para o drama da violência nas relações entre as nações.

    Visando uma leitura complementar em relação às matérias das restantes unidades curriculares do Mestrado em Estudos da Paz e da Guerra (deixando, assim, fora do seu perímetro de estudo as questões relativas aos actuais esforços da comunidade internacional para a resolução de conflitos ou da chamada reconstrução pós-bélica) o Seminário centra-se na preocupação de aprofundar tanto a inteligência estratégica como o sentido de uma cultura de paz, incluindo a consciência das ambiguidades dos processos históricos que visaram a obtenção da paz na vida internacional.

    O segundo ano do mestrado em Relações Internacionais, 3º e 4º semestres, correspondem ao desenvolvimento do projeto de investigação e sua realização orientado por um professor doutorado da Universidade Autónoma de Lisboa.

    Caso se considere apropriado poderá existir um orientador externo à Universidade Autónoma de Lisboa, tendo nestes casos de existir um coorientador que seja um doutorado docente na UAL.

    O mestrando(a) poderá desenvolver o trabalho sobre um tema inserido nas linhas de investigação do OBSERVARE – Observatório de Relações Exteriores da Universidade Autónoma de Lisboa e da área de investigação do orientador de dissertação de mestrado.

    No 3º semestre o mestrando(a) apresenta o seu projeto de investigação, que é submetido para aprovação na Comissão Científica do Departamento de Relações Internacionais e da Universidade Autónoma de Lisboa.

    Após a aprovação do projeto o mestrando(a) realiza a investigação até ao momento de submissão da dissertação no 4º semestre, que é defendida em provas públicas perante um júri.

    O segundo ano do mestrado em Relações Internacionais, 3º e 4º semestres, correspondem ao desenvolvimento do projeto de investigação e sua realização orientado por um professor doutorado da Universidade Autónoma de Lisboa.

    Caso se considere apropriado poderá existir um orientador externo à Universidade Autónoma de Lisboa, tendo nestes casos de existir um coorientador que seja um doutorado docente na UAL.

    O mestrando(a) poderá desenvolver o trabalho sobre um tema inserido nas linhas de investigação do OBSERVARE – Observatório de Relações Exteriores da Universidade Autónoma de Lisboa e da área de investigação do orientador de dissertação de mestrado.

    No 3º semestre o mestrando(a) apresenta o seu projeto de investigação, que é submetido para aprovação na Comissão Científica do Departamento de Relações Internacionais e da Universidade Autónoma de Lisboa.

    Após a aprovação do projeto o mestrando(a) realiza a investigação até ao momento de submissão da dissertação no 4º semestre, que é defendida em provas públicas perante um júri.