International Relations

The current scenario has made it evident that political, economic and social processes are increasingly international. Thus the growing relevance of the study of international relations, which has become a scientific field in university education.

However, the decrease in the number of years needed for a Bachelor degree led to the need to complement and further the skills acquired in the Bachelor program in International Relations or in other fields. The Master in International Relations (2nd studies cycle) aims to meet that need and further students’ skills in analysing global complex interactions, combining the core topic of international politics and perspectives from other fields such as Law and Sociology, but especially Economy, given the importance of economic internationalization.

The Master in International Relations is a four-semester program that awards 120 ECTS,  authorized under Announcement nº 261/2013 – 2nd series – Nº 143 – 26 June, in Diário da República. The Master is accredited by the Assessment and Accreditation Agency for Higher Education (ACEF/12/00151).

    Plano Curricular

    - Professor Doutor Luís Moita - Prof. Doutor Ricardo Sousa

    • Dotar aos alunos de instrumentos teóricos e metodológicos que lhes permitam investigar, analisar, interpretar e ainda reflectir sobre a realidade internacional/global e continuando o trabalho efectuado em Teoria das Relações Internacionais I (semestre anterior);
    • Identificar, seleccionar e avaliar fontes de informação documentais e bibliográficas a partir dos seus autores e sobre as Relações Internacionais:
      • Aproximar os alunos ao mundo das ideias, conceitos centrais e interpretações dos principais representantes nas várias perspectivas para o estudo das Relações Internacionais;
      • Demonstrar a validade dos modelos ditos tradicionais e a oportunidade dos modelos teóricos que se enquadram numa perspectiva mais moderna das Relações Internacionais;
      • Identificar e compreender os pontos de encontro e desencontro entre paradigmas.

    - Prof.ª Doutora Patricia Galvão Teles

    • Aprofundar conhecimentos sobre as tendências atuais do Direito Internacional;
    • Desenvolver a capacidade de reflexão crítica sobre a matéria, bem como adquirir metodologias de investigação específicas no contexto de uma abordagem jurídico-internacional;
    • Conseguir aplicar os conhecimentos adquiridos numa perspetiva de investigação multidisciplinar, que envolva as Relações Internacionais e o Direito Internacional Público;
    • Aplicar os conhecimentos adquiridos a questões concretas contemporâneas.

    - Prof. Doutor Luís Tomé

    • Adquirir o quadro teórico e metodológico no âmbito da geopolítica e da geoestratégia adequado ao conhecimento e análise do comportamento das chamadas “grandes potências” e dos factores de instabilidade e conflitualidade ao nível internacional e regional;
    • Desenvolver uma atitude de reflexão crítica sobre as políticas e as estratégias das grandes potências;
    • Compreender o quadro geopolítico-geoestratégico mundial e os factores e as dinâmicas de instabilidade em certas regiões geoestratégicas.

    - Mestre Pedro Pinto - Mestre Henrique Morais

    • Compreender a situação atual das principiais economias, seus padrões de crescimento e desafios que se colocam;
    • Identificar os movimentos de rotação do motor do crescimento económico mundial rumo a oriente e às economias emergentes;
    • Descrever a ascensão das economias do Hemisfério Ocidental e da Ásia Oriental;
    • Reconhecer os desafios que se colocam à Área do euro;
    • Identificar os problemas estruturais da economia norte-americana.

    - Prof. Doutor Miguel Santos Neves

    • Aprofundar os conhecimentos sobre diferentes perspetives teóricas relativas à política externa e seus processos de formulação e implementação;
    • Compreender os modos e processos que os atores internacionais, Estados e atores não-estatais, adotam para formular decisões e estratégias no relacionamento com outros atores da comunidade internacional, incluindo através da análise de estudos de caso;
    • Analisar, através de estudos de caso, as políticas externas de grandes potências e países emergentes procurando compreender o impacto da opinião pública e do funcionamento de sistemas políticos democráticos e não democráticos sobre a política externa;
    • Desenvolver as capacidades de comunicar ideias e expor argumentos numa perspetiva de participação no debate público;
    • Promover a aquisição de competências de investigação sobre as temáticas das Relações Internacionais e da formulação e implementação da política externa.

    - Profª. Doutora Nancy Elena Ferreira Gomes

    Esta unidade curricular tem como objectivo aprofundar a actual problemática da governação global com os seus variados atores. Neste sentido, propõe-se o estudo das tensões entre a globalização das questões e a escala nacional dos centros de decisão políticos bem como das possibilidades e obstáculos da governação global.

    O programa incide, ainda, na análise da dualidade entre instituições formais de governação (como o sistema das Nações Unidas, pactos militares, organismos regionais) e instituições informais (como o G-8, G-20, Cimeiras da Terra, Fórum Económico Mundial de Davos) e do papel dos organismos multilaterais enquanto instrumentos de gestão da globalidade e na avaliação da influência de outros atores designadamente das organizações não-governamentais e da sociedade civil, promovendo uma reflexão crítica sobre os desafios e perspectivas de evolução.

    Gerais:

    • Adquirir a abordagem teórica e metodológica adequada ao conhecimento;
    • Identificar, seleccionar e avaliar fontes de informação documentais e bibliográficas;
    • Desenvolver capacidade de reflexão crítica referente à matéria;
    • Dotar os alunos com conhecimentos sólidos.

    Específicos:

    • Estudar a origem e o desenvolvimento do multilateralismo;
    • Identificar as contribuições teóricas para o estudo da disciplina;
    • Analisar o papel dos Estados, das Organizações Internacionais e de outros actores internacionais no processo de evolução do multilateralismo;
    • Identificar as possibilidades e os principais obstáculos da governação global.

    - Profª. Doutora Brigida Brito - Prof. Doutor Filipe Vasconcelos Romão

    • Conhecer os principais processos de natureza transnacional que ocorrem nas sociedades contemporâneas, tanto na sua teorização como nas suas práticas;
    • Compreender a actual importância da interacção entre as sociedades e a dimensão sociológica das interdependências, com relevo para os movimentos sociais;
    • Identificar os fluxos culturais e informacionais que actuam num mundo sem fronteiras;
    • Compreender os impactos decorrentes dos movimentos de pessoas a nível internacional;
    • Apreender os presentes debates em torno do multiculturalismo;
    • Compreender os modos como as opiniões públicas e as dinâmicas sociais agem sobre os centros de decisão política;
    • Reflectir criticamente novos temas de actualidade, como sejam o da “sociedade civil global” ou da “democracia cosmopolita”.

    - General Luís Valença Pinto

    • Aprofundar os conhecimentos teóricos e metodológicos necessários ao conhecimento e à crítica do saber referente a questões essenciais do âmbito da Segurança e Defesa;
    • Identificar, avaliar e seleccionar fontes de informação documentais e bibliográficas relativas ao estudo das questões da Segurança e Defesa;
    • Desenvolver atitudes e comportamentos alicerçados nas capacidades já adquiridas, assim como ampliar a atitude de atenção e reflexão sobre as questões da Segurança e Defesa.

    - Prof.ª Doutora Ana Furtado

    A finalidade deste seminário é os alunos ficarem aptos a entenderem:

    • o modo de funcionamento da interdependência das economias nacionais;
    • o funcionamento dos mercados em economia aberta;
    • o efeito das políticas macroeconómicas nesse contexto.

    Depois de uma abordagem às diversas explicações que justificam o comércio internacional, o modelo Mundell-Fleming será utilizado com base de trabalho que explica a necessidade de equilíbrio interno e externo.

    Por último dar-se-á o enquadramento teórico e empírico do funcionamento de uma área monetária desenvolvendo-se o caso concreto da integração de Portugal na União Económica e Monetária.

    - Profª. Doutora Brigida Brito - Profª. Doutora Nancy Elena Ferreira Gomes

    • Familiarizar os mestrandos com conceitos, problemas centrais e práticas fundamentais inerentes ao processo de investigação em Ciências Sociais;
    • Fornecer uma compreensão sobre o procedimento científico e as dimensões fundamentais do processo de investigação em Relações Internacionais;
    • Promover o desenvolvimento de uma consciência ética e crítica em torno das atividades de investigação e produção do conhecimento científico tendo presentes os objetivos definidos e o campo de estudo;
    • Capacitar o mestrando para o desenvolvimento de práticas de investigação apoiadas na formulação de um problema, na argumentação racional e logicamente elaborada, na pesquisa, sistematização e organização da informação;
    • Dotar o aluno de instrumentos orientados para a comunicação escrita e oral estruturada, clara e consistente dos objetivos, métodos, resultados e fontes utilizadas.

    O segundo ano do mestrado em Relações Internacionais, 3º e 4º semestres, correspondem ao desenvolvimento do projeto de investigação e sua realização orientado por um professor doutorado da Universidade Autónoma de Lisboa.

    Caso se considere apropriado poderá existir um orientador externo à Universidade Autónoma de Lisboa, tendo nestes casos de existir um coorientador que seja um doutorado docente na UAL.

    O mestrando(a) poderá desenvolver o trabalho sobre um tema inserido nas linhas de investigação do OBSERVARE – Observatório de Relações Exteriores da Universidade Autónoma de Lisboa e da área de investigação do orientador de dissertação de mestrado.

    No 3º semestre o mestrando(a) apresenta o seu projeto de investigação, que é submetido para aprovação na Comissão Científica do Departamento de Relações Internacionais e da Universidade Autónoma de Lisboa.

    Após a aprovação do projeto o mestrando(a) realiza a investigação até ao momento de submissão da dissertação no 4º semestre, que é defendida em provas públicas perante um júri.

    O segundo ano do mestrado em Relações Internacionais, 3º e 4º semestres, correspondem ao desenvolvimento do projeto de investigação e sua realização orientado por um professor doutorado da Universidade Autónoma de Lisboa.

    Caso se considere apropriado poderá existir um orientador externo à Universidade Autónoma de Lisboa, tendo nestes casos de existir um coorientador que seja um doutorado docente na UAL.

    O mestrando(a) poderá desenvolver o trabalho sobre um tema inserido nas linhas de investigação do OBSERVARE – Observatório de Relações Exteriores da Universidade Autónoma de Lisboa e da área de investigação do orientador de dissertação de mestrado.

    No 3º semestre o mestrando(a) apresenta o seu projeto de investigação, que é submetido para aprovação na Comissão Científica do Departamento de Relações Internacionais e da Universidade Autónoma de Lisboa.

    Após a aprovação do projeto o mestrando(a) realiza a investigação até ao momento de submissão da dissertação no 4º semestre, que é defendida em provas públicas perante um júri.